Indies, hipsters, elitistas musicais.  Esses são nomes dados para denominar um grupo de pessoas extremamente boçal e escroto. Esses filhos da puta são conhecidos por exalar arrogância pelos poros, sempre rindo dos plebeus imundos que nunca ouviram falar de maravilhas como Yoñlu (Que ao contrário do Kurt Cobain, se suicidou como um n00b), Neutral Milk Hotel, Flaming Lips e outras bandinhas indies que apenas meia dúzia de panacas ouviu e passam nas madrugadas da MTV e 24 horas por dia na VH1.

Olhem para mim, sites irrelevantes me dão notas altíssimas!

Outra coisa interessante sobre Indies é a memória curta deles. Ao contrário de outros fãs, Indies difícilmente ouvem mais de um CD da mesma banda, uma vez que na época do segundo CD eles se tornariam “Vendidos”, “Mainstream” ou “Modinha”, ignorando o fato que foram eles mesmos que fizeram a porra da banda “popular” pra início de conversa.

O Indie é fácilmente reconhecido pela sua vestuário, que consiste em milhares de buttons toscos, cabelos do tipo “scene”, óculos aviador que parecem pertencer a pedófilos, sapatos all-star, boinas francesas e piercings no nariz. Eles também estão sempre armados com Ipods e Iphones, uma vez que o satânico Steve Jobs e seus canalhas da Apple criam seus produtos justamente para agradar esse tipo de filho da puta. A única coisa que os salva é o fato de NÃO EXISTIREM INDIES GORDOS, uma realização impressionante, mas anulada pelo fato de terem de trocar merda nas banhas por merda na atitude.

Primeira Indie do mundo. Ou primeiro, ela é irreconhecível de um Indie masculino.

O Indie é uma criatura manhosa, que (felizmente) evita espalhar suas asas pelo mundo para não se contaminar com mortais inferiores. Ainda assim, há diversos lugares onde um caçador possa encontrar, matar, empalhar e fazer um troféu deles.

Last.FM

Flickr

Myspace Music

Anúncios